ANCR-Associação Nacional do Cavalo de Rédeas
Critérios de Mobilidade no Ranking ANCR
Critérios de Mobilidade no Ranking ANCR

CRITÉRIOS DE MOBILIDADE NO RANKING ANCR

Fica estabelecido, conforme reunião de diretoria, realizada no dia 29/03/2021, que a partir do início do novo ano hípico 2021/2022 teremos a inclusão de mais um nível de competição.

O objetivo desta mudança além de dar mais competitividade as categorias, melhora a distribuição de resultados, dividindo ainda mais os títulos e premiações, entre os competidores.

A alteração prevista em reunião (dia 28/09/2021) visa comparar aos critérios da NRHA – National Reining Horse Association, adaptando-se ao volume de cavalos atuais do Brasil e ajustando o novo ranking e mobilidade conforme abaixo:

A mobilidade dos níveis será realizada ANUALMENTE.

 

CATEGORIA ABERTA

Nível 4: Os 10 melhores profissionais da última temporada são elegíveis para este nível e não podem competir em nenhum outro nível. Se um Amador estiver entre os 10 melhores e deseja mostrar em competição aberta, ele/ela é elegível para a divisão N4.

Nível 3: Os 11–25 melhores profissionais são elegíveis para o N3 Aberto e superior (Ou seja, podendo disputar também o N4). Se um Amador estiver classificado no Top 11–25 e deseja mostrar em competição aberta, ele/ela é elegível para N3 e superior (Ou seja, podendo disputar também o N4).

Nível 2: Os demais abaixo de 26 (sendo 26 incluso) profissionais são elegíveis para o N2 Aberto e superior (Ou seja, podendo disputar também o N3 e 4) exceto ou limitado aos elegíveis com a regra do Nível 1 abaixo. Se um Amador estiver nesta condição de N2 e deseja mostrar em competição aberta, ele / ela é elegível para N2 e superior (Ou seja, podendo disputar também o N3 e 4). Em nenhuma hipótese um competidor do nível 2 (dois), 3 (três) e 4 (quatro) retornará à categoria nível 1 (um).

Nível 1: Serão considerados nível 1 todos os cavaleiros que tenham ganhos inferiores a R$ 5.000,00 no ranking acumulado. Em nenhuma hipótese um competidor do nível 1 (um) retornará à categoria principiante.

 

CATEGORIA AMADOR

Nível 4: Os 8 melhores competidores da última temporada são elegíveis para este nível e não podem competir em nenhum outro nível.

Nível 3: Os 9–20 melhores competidores são elegíveis para o N3 Amador e superior (Ou seja, podendo disputar também o N4).

Nível 2: Os demais abaixo de 21 (sendo 21 incluso) competidores são elegíveis para o N2 Amador e superior (Ou seja, podendo disputar também o N3 e 4) exceto ou limitado aos elegíveis com a regra do Nível 1 abaixo. Em nenhuma hipótese um competidor do nível 2 (dois), 3 (três) e 4 (quatro) retornará à categoria nível 1 (um).

Nível 1: Serão considerados nível 1 todos os cavaleiros que tenham ganhos inferiores a R$ 2.500,00 no ranking acumulado. Em nenhuma hipótese um competidor do nível 1 (um) retornará à categoria principiante.

 

CATEGORIA ABERTA E AMADOR PRINCIPIANTE

A categoria principiante é a categoria de entrada na modalidade de Rédeas. Todo e qualquer novo(a) cavaleiro(a), não qualificado(a) no ranking, poderá iniciar nesta categoria e subir de níveis de acordo com sua evolução de treinamento dentro da modalidade. Condição válida para provas oficiais ANCR, oficializadas e também para provas dos núcleos ou associações afiliadas.

O(A) cavaleiro(a) poderá permanecer nesta categoria por 2 (dois) anos hípicos consecutivos. Cavaleiros(as) até completar 15 anos não seguem esta regra, podendo permanecer nesta categoria por mais de 2 anos hípicos desde que não obtenham ganhos superiores a R$ 2.500,00 na categoria aberta (níveis 1, 2, 3 e 4) e R$ 1.250,00 na categoria amador (níveis 1, 2, 3 e 4). Se ganharem, eles serão automaticamente classificados, conforme os critérios de níveis, supracitados neste documento.

Os competidores que finalizarem o ano hípico como campeões e reservado campeão das provas da ANCR na sua categoria de principiante aberta ou amador:

  • Derby, Campeonato Nacional e Super Stakes

Serão automaticamente promovidos para ao Nível 1 (um) aberta e amador em função da qualidade técnica alcançada como competidor.

Também os competidores das categorias principiante aberta e amador que se consagrarem campeões em seus respectivos núcleos serão promovidos ao nível 1 (um), em função da qualidade técnica alcançada durante o ano, ao início do novo ano hípico.

Os competidores das categorias principiante Aberta e Amador poderão se inscrever em outros níveis sem perder a condição de principiante em todas as provas da ANCR (Super Stakes, Potro do Futuro e Derby), assim como nas provas dos núcleos. Ex.: o principiante amador poderá inscrever-se também nas categorias aberto e amador Níveis 1, 2, 3 e 4 e o principiante aberto na categoria aberta níveis 1, 2, 3 e 4.  Poderá montar o mesmo cavalo utilizado na categoria do principiante desde que cavaleiros e animais se adequem às regras de competição das categorias acima e sempre respeitando o bem-estar dos animais.

É permitido ao principiante apresentar animal que não seja de sua propriedade.

É permitido ao principiante apresentar com duas mãos nas rédeas.

 

CATEGORIA JOVEM

A categoria Jovem será subdividida em 3 (três), conforme a idade do cavaleiro. A categoria Jovem 10 destina-se a cavaleiros de 0 (zero) a 10 (dez) anos (inclusive). A categoria Jovem 13 destina-se a cavaleiros de até 13 (treze) anos completos. A categoria Jovem 15 destina-se a cavaleiros de até 15 (quinze) anos completos.

A data que vale para idade do jovem é a do início do ano hípico da competição, sendo assim, (i) podem participar da categoria Jovem 10 todos os competidores que nesta data estiverem com 10 (dez) anos ou menos, mesmo que na data do evento já estejam com 11 (onze) anos; (ii) podem participar da categoria Jovem 13 todos os competidores que nesta data estiverem com 13 (treze) anos ou menos, mesmo que na data do evento já estejam com 14 (quatorze) anos; e (iii) podem participar da categoria Jovem 15 todos os competidores que nesta data estiverem com 15 (quinze) anos ou menos, mesmo que na data do evento já estejam com 16 (dezesseis) anos.

É permitido ao cavaleiro de 0 (zero) a 10 (dez) anos (inclusive) participar da categoria Jovem 13 e 15. É permitido ao cavaleiro de 0 (zero) a 13 (treze) anos (inclusive) participar da categoria Jovem 15.

É permitido ao Jovem apresentar animal que não de sua propriedade.

É permitido ao Jovem apresentar com duas mãos nas rédeas.

O competidor Jovem poderá se inscrever em outros Níveis em todas as provas da ANCR (Super Stakes, Potro do Futuro e Derby), assim como nas provas dos Núcleos, sem perder a condição de jovem, porém, deverá seguir as regras de elegibilidade e de competição dos outros Níveis.

 

Obs.: A diretoria da ANCR poderá alterar os critérios, sem aviso prévio, para melhorar a modalidade sempre que necessário ao final do ano hípico, ou seja, ao término do Potro Futuro e Campeonato Nacional.

Obs..: Para situações, onde o competidor possui classificação no ranking da NRHA e ANCR, em níveis diferentes, terá que seguir o nível de maior classificação, para efeitos de competição no Brasil. Ex.: Cavaleiro/amazona com ranking ANCR níveis 2,3 e 4, ou que não esteja ranqueado na ANCR e que na NRHA é nível 4, só será nível 4, para efeitos de competição no Brasil, pela ANCR.

Obs...: Para efeitos de elegibilidade dos níveis 2, 3 e 4 e reclassificação dos mesmos para as competições do ciclo 2021/2022, foi usada a somatória dos rankings dos dois últimos anos (temporada 2019/2020 e 2020/2021).

Para os níveis 1 foram utilizados os rankings acumulados, de acordo os valores em ganho, do histórico de cada cavaleiro. Ou seja, cavaleiros abertos com ganhos inferiores a R$5.000,00 no ranking acumulado são N1 e cavaleiros amadores com ganhos inferiores a R$2.500,00 no ranking acumulado são N1.

 

Holambra 28/09/2021.
Associação Nacional do Cavalo de Rédeas